segunda-feira, 25 de julho de 2011

Um bom lugar... um passeio

Neste fim de semana, queríamos fazer um passeio com as crianças. O plano era ir até a chácara dos meus pais no domingo bem cedinho, e para isso teríamos que nos prepara no sábado, eu tinha que fazer um cuque e deixar a casa limpa e a roupa lavada, essas coisas de dona de casa... como não fiz nada disso... e fiz coisa melhor... assisti filme com o marido e com as crianças, comemos coisas gostosas e tomamos um vinho... resultado... no domingo acordamos tarde! E agora? O que fazer? Para onde ir? Recorremos ao santo Google, passeios perto de Curitiba, menos de 100km... achamos um lugar que já queríamos ir há algum tempo: A Colônia Witmarsum, em Palmeiras, um pouco mais longe, mas valeu cada quilômetro!
Saímos de casa quase meio dia e chegamos lá em uma hora. Estranhamos as casa fechadas, o comércio adormecido, uma vaca parindo sozinha sem ninguém para companhar o nascimento do rebento, e também nós como nada entendemos dessas coisas não ficamos por perto para não assustá-la... e saimos apreciar a paisagem, o riacho, as estrias glaciais (uma formação rochosa muuuiiito antiga) e a quietude do lugar... o Théo e o Edno até conseguiram ver duas ariranhas no riozinho! mas eu e a Bea não vimos nada, acho que o barulho do carro as espantou... mas depois das duas horas da tarde resolvemos parar em uma confeitaria, já estávamos com fome, e lá soubemos que o movimento começa nesse horário mesmo... não contei da vaca que estava parindo, a essa altura acho que alguém já tinha chegado lá para ajudar e vai que a moça risse de mim, da minha preocupação? Tomamos um café muito gostoso com bolo, visitamos o museu da colônia, compramos uma linguiça defumanda que veio atiçando a fome a viagem toda... e chegamos em casa a tempo de fazer o cuque, tomar um café e ir à missa... minha mãe me ensinou: "domingo sem missa, semana sem graça" e é bem assim que eu sinto... Tem coisas que demoramos a compreender... mas o tempo é um senhor de barbas longas e muita paciência pra ensinar. Passamos um domingo agradável, enchemos os olhos de tons de verdes inimagináveis, de som de cachoeira... de história... só não vou descrever os odores, porque o Théo não gostou muito... ele disse que se fosse um fazendeiro ia lavar bem as vacas e os bois porque eles eram muito fedidos... rsrsrs... Ah!, ainda dou tempo para o marido fazer cueca-virada no domingo a noite!

BR 277 sentido Ponta Grossa...

Entrada para Witmarsum, uma estrada tão linda entre árvores, pastos, plantações... dá vontade de parar pra olhar... mas não possui acostamento...

Estrias glaciais...
Trata-se de um pavimento polido com estrias e sulcos de extensão métrica, orientados na direção norte-sul, preservado no topo de uma camada de arenitos. O provável sentido de movimento das geleiras era de sul para norte. Acima do pavimento aflora um diamictito, rocha originada da erosão e deposição causada pelo movimento da geleira sobre o substrato e portadora de clastos facetados e eventualmente estriados. O diamictito pertence ao Grupo Itararé da Bacia do Paraná. O afloramento foi tombado pela Secretaria da Cultura do Paraná, sendo todo sinalizado. É um dos sítios geológicos brasileiros, definido pela Comissão Brasileira de Sítios Geológicos e Paleobiológicos. Retirado do Wikepedia.

 
Igreja Menonita. A colônia é formada por menonitas que preservam sua cultura e religião, vivendo em comunidade dedicando-se á agricultira e a pecuária (o produto principal de região é o leite e derivados). E também do turismo, como uma alternativa para que os descendentes continuem na colônia e dêem continuidade á comunidade.

Igreja católica... em área mais retirada...

Encontro de dois rios, forma uma pequena canhoeira... peninha que não filmei... mas o som é uma delícia, barulhinho bom, da água.

O café colonial também é uma boa pedida... mas nós só escolhemos um bolo bem gostoso e café com leite bem quentinho...

O lugar é um charme a parte... Uma antiga casa da clônia que deu lugar a esta confeitaria.

A entrada da confeitaria... ao lado lojinha de artesanato

Vamos vistar o Museu? História preservada por um povo muito organizado e dedicado. Pelo que entendi, eles têm uma pesquisa com a genealogia de todos os menonitas que imigraram para o Brasil...

Aqui, um "cartaz" desenhado á mão, para a catequese das crianças, explicando o primeiro e segundo testamentos, toda a história da bíblia resumida em desenhos para ilustrar o plano do Reino de Deus... muito interessante.

A roda d´água, que o Théo quera ver funcionando.... e viu!

Situada no munícipio de Palmeira no Estado do Paraná a Colônia Witmarsum foi formada em julho de 1951 por menonitas que reimigraram da cidade de Witmarsum do Estado de Santa Catarina. Os menonitas da Colônia Witmarsum pertencem ao grupo dos menonitas alemães-russos, que tem sua origem na Frísia, no norte da atual Holanda e Alemanha. Através da Prússia eles imigraram para Rússia no século XVIII, de onde fugiram em 1929, quando o comunismo se instalou naquele país. Em 1930 vieram ao Brasil onde, após uma tempo em Santa Catarina, fundaram em 1951 a Colônia Witmarsum no Paraná. Graças a um financiamento conseguido junto aos menonitas da América do Norte, foi possível comprar em 7 de junho de 1951 a Fazenda Cancela.
Ocupa uma área de aproximadamente 7800 hectares e possui aproximadamente 1500 habitantes. Compreende cinco núcleos de povoamento, denominados aldeias e numerados de 1 a 5 e, dispostos em torno de um centro administrativo comercial e social situado na sede da antiga Fazenda Cancela.
Sua base econômica reside na agropecuária, desenvolvida sobretudo no setor da pecuária leiteira. Também há criação de frangos e porcos para o abate e plantações de soja e milho.
Na Colônia de Witmarsum ocorrem as Estrias Glaciais de Witmarsum, um registro marcante da grande glaciação que ocorreu do Carbonífero inferior ao Permiano inferior, entre 360 e 270 milhões de anos atrás, quando toda porção sul do antigo supercontinente Gondwana, então parte da atual América do Sul, ficou coberto por espessas camadas de gelo. (fonte: Wikepedia)

4 comentários:

  1. Mais um post lindo de viagem... e com as fotos todas a registarem os momentos importantes!
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  2. Olá mfc, e foi um passeio muito bom! Gostamos de conhecer lugares com história, e o povo que mora lá se orgulha e presenva sua história!
    um abraço e até mais!

    ResponderExcluir
  3. Oi JO! Lembrei deste teu post e passei aqui pra conferir a referencia. Estou pensando em ir lá por estes dias.

    ResponderExcluir
  4. Então... um bom passeio, vale a pena!
    Jo

    ResponderExcluir